Quer saber de uma verdade? Eu não consigo me esquecer do que aconteceu, e não luto para tentar. Porque mesmo sendo dolorosa, é uma das minhas mais belas lembranças.
Tinham um relacionamento complicado, eram duas pessoas difíceis, e tinham o costume de dificultar tudo. Brigavam muito, diziam coisas que poderiam acabar com qualquer relacionamento, sempre achavam que aquela briga seria a última, mas nunca era. Se arrependiam, e sempre voltavam. Eram orgulhosos, mas em todas as brigas um dos dois deixava o orgulho de lado pra pedir desculpa. Eram difíceis de lidar, mas fáceis de amar, um ao outro.

I’ll never stop loving you. (via dream-of-a-love)

Estou me despedindo de algumas saudades e enchendo a vida de outras. Deixando as transformações curarem os vazios e os contornos estranhos da vida desenharem novas lembranças. Está tudo bem. Está tudo bem em se perdoar pela saudade morrer quando as mudanças já nos ensinaram o bastante. Nas causas perdidas, ou morre a saudade ou morremos nós.

Camila Costa. (via inverbos)

Eu nunca vou entender porque a gente continua voltando pra casa querendo ser de alguém, ainda que a gente esteja um ao lado do outro. Eu nunca vou entender porque você é exatamente o que eu quero, eu sou exatamente o que você quer, mas as nossas exatidões não funcionam numa conta de mais… Mas aí, daqui uns dias…. você vai me ligar. Querendo tomar aquele café de sempre, querendo me esconder como sempre, querendo me amar só enquanto você pode vulgarizar esse amor. Me querendo no escuro. E eu vou topar. Não porque seja uma idiota, não me dê valor ou não tenha nada melhor pra fazer. Apenas porque você me lembra o mistério da vida. Simplesmente porque é assim que a gente faz com a nossa própria existência: não entendemos nada, mas continuamos insistindo.

Tati Bernardi.  (via ironica-e-ciumenta)

Volta vai, prometo fazer aquele strogonoff que te prometi a meses, te faço um cafuné nessas tardes frias, uma massagem talvez? Volta vai, vamos sair para dançar a noite toda juntos e esquecer tudo o que passou, esquecer do mundo, Volta vai? deixa as coisas acontecerem só entre eu e você e mais ninguém, prometo não envolver nada a não ser o meu amor. Volta e vamos escapar juntos nessas madrugadas geladas. Volta vai, esse inverno ta cada dia mais frio sem você aqui, prometo não brigar mais, um copo de cerveja que tal? te prometo uma viajem só nossa, eu você e mais ninguém. Volta vai, deixa eu te fazer o homem mais feliz do mundo.

Luane Dornelas

— Meu nome é Hazel. O Augustus Waters foi o grande amor estrela-cruzada da minha vida. Nossa história de amor foi épica, e não serei capaz de falar mais de uma frase sobre isso sem me afogar numa poça de lágrimas. O Gus sabia. O Gus sabe. Não vou falar da nossa história de amor pra vocês porque, como todas as histórias de amor de verdade, ela vai morrer com a gente, como deve ser. Eu tinha a expectativa de que ele é quem estaria fazendo meu elogio fúnebre, porque não há ninguém que eu quisesse tanto que…— Comecei a chorar. — Tá, como não chorar. Como é que eu…Tá.
Respirei fundo algumas vezes e retomei a leitura.
— Não posso falar da nossa história de amor, então vou falar de matemática. Não sou formada em matemática, mas sei de uma coisa: existe uma quantidade infinita de números entre 0 e 1. Tem o 0,1 e o 0,12 e o 0,112 e uma infinidade de outros. Obviamente, existe um conjunto ainda maior entre o 0 e o 2, ou entre o 0 e o 1 milhão. Alguns infinitos são maiores que outros. Um escritor de quem costumávamos gostar nos ensinou isso. Há dias, muitos deles, em que fico zangada com o tamanho do meu conjunto ilimitado. Queria mais números do que provavelmente vou ter, e, por Deus, queria mais números para o Augustus Waters do que os que ele teve. Mas Gus, meu amor, você não imagina o tamanho da minha gratidão pelo nosso pequeno infinito. Eu não o trocaria por nada nesse mundo. Você me deu uma eternidade dentro dos nossos dias numerados, e sou muito grata por isso.

A Culpa é das Estrelas.   (via explicou-se)

Deixa ir, e se ele voltar e porque viu que lá fora não tem nada melhor do que você na vida dele.

Estrebias. (via romanteios)

E tô achando bom, tô repetindo que bom, Deus, que sou capaz de estar vivo sem vampirizar ninguém, que bom que sou forte, que bom que suporto, que bom que sou criativo e até me divirto e descubro a gota de mel no meio do fel.

Caio Fernando Abreu.  (via menciones)

Eu nunca vou entender porque a gente continua voltando pra casa querendo ser de alguém, ainda que a gente esteja um ao lado do outro. Eu nunca vou entender porque você é exatamente o que eu quero, eu sou exatamente o que você quer, mas as nossas exatidões não funcionam numa conta de mais… Mas aí, daqui uns dias…. você vai me ligar. Querendo tomar aquele café de sempre, querendo me esconder como sempre, querendo me amar só enquanto você pode vulgarizar esse amor. Me querendo no escuro. E eu vou topar. Não porque seja uma idiota, não me dê valor ou não tenha nada melhor pra fazer. Apenas porque você me lembra o mistério da vida. Simplesmente porque é assim que a gente faz com a nossa própria existência: não entendemos nada, mas continuamos insistindo.

Tati Bernardi.  (via ironica-e-ciumenta)

Cuida bem. Observa os detalhes. Olhe nos olhos. Tente reparar no que ninguém repara. Acaricie as mãos. Leve uma flor num dia qualquer. Surpreenda. Ouça. Seja sincero. Amor se constrói na simplicidade. Hoje em dia, ele está tão raro porque não param pra notar que ele não tropeça nas grandes montanhas, e sim nas pequenas pedras.

A Menina e o Violão.   (via reflorescia)


@ acumulou